segunda-feira, outubro 23, 2017

domingo, outubro 22, 2017

ASSIM NA TERRA COMO NO CÉU


esta documentação visual associada aos discursos da fé e da crença, amplia as análises e os problemas associados à documentação qualitativa...

sábado, outubro 21, 2017

pós-incêndios. um homem chora pelas suas colmeias perdidas. outro lamenta com lágrimas uma nespereira enxertada. uma mulher olha o vazio e pergunta a uma vizinha se viu o seu gato. um homem entre choros soluça o seu querido olival. um casal caminha na direcção da sua casa queimada. uma família em silêncio na berma da estrada tenta confrontar a realidade de um seu vizinho falecido. lembrei-me de Saramago, quando proferiu um dos melhores discursos de sempre: "o meu avô antes de ser hospitalizado foi despedir-se das suas árvores". será que algum governante entenderá o que é o amor por uma singela árvore?

e que mais da miséria se espera, quando a norma tem sido um grito mudo, a consequência de um conjunto de direcções financeiras que mais nada se esperava do que o aumento das dificuldades, e um recado do tipo "self help", tal como nos habituou um senhor que do alto da sua arrogância nos receitava um mandamento eficaz: emigrar em vez de lutar por um país que é de todos...
Vol. I. 2017
pós-incêndios. ouço um autarca de uma destas regiões mais afetadas referir que o fogo veio de outros municípios. logo o seu município está isento de qualquer fraqueza ou falha. os outros municípios de onde o fogo veio é que são os negligentes. serão estes argumentos necessários ou deliberados numa altura de catástrofe?

um outro ponto é o atraso que este interior centro flagelado revela, os parcos investimentos no social. as habitações, os arruamentos, as estradas, as pequenas reformas, as juntas de freguesia com orçamentos minguos. ficou na memória de todos e provavelmente do mundo inteiro, como estas pessoas defenderam os seus lugares, a impressionante entre-ajuda na luta contra estes incêndios colossais (quase ficção cientifica), em muitas situações, imagine-se, com baldes de água, pequenas mangueiras de quintal...esta é a imagem de um país tremendamente diferente daquele que os governantes destes últimos 20 anos ficcionaram...
Vol. I. 2017
parabéns estrelinha
hinos triunfais para este dia

quinta-feira, outubro 19, 2017

quarta-feira, outubro 18, 2017

ainda pós-incêndios. estranhamente não ouvi nenhum grupo de ecologistas. manifestações cívicas na rua. soltam uma "avezinha" e lá estão todos juntos em prole da  restituição da natureza perdida...

terça-feira, outubro 17, 2017

segunda-feira, outubro 16, 2017

"em casa onde não há pão, todos ralham e ninguém tem razão", esta é a máxima a subtrair aos transversais debates pós-incêndios. ao contrário de muitas opiniões políticas que tentam "jogar um jogo extremamente delicado e perigoso", ao fazerem questão de teimarem no foco cego das desgraças dos outros para posicionamentos políticos controlados à distância. uma das grandes certezas é o grau de seriedade imediata e urgente que esta matéria dos incêndios impõe às populações e suas administrações locais e nacionais. eu pergunto, ao longo do ano, quantas vezes ouvimos as pessoas mais comuns que vivem  a realidade dos quotidianos nestas zonas flageladas, aquelas que são deveras conhecedoras dos verdadeiros problemas e/ou suas causas?