terça-feira, maio 22, 2018

A'brego # parte meridional, aquele que é do Sul

("labrego" quiçá seja corrupção desta palavra)

ON THE ROAD


segunda-feira, maio 21, 2018

ARQUITECTURAS POPULARES. ROSMANINHAL


as possibilidades do uso e do alcance das tecnologias actuais inscrevem-se no escancarar de um amplo leque de metodologias à mão de semear quase imediata do investigador. na imagem, um núcleo urbano de Rosmaninhal, com a sua configuração histórica própria, visível nessa economia de formas de casarios simples. onde os anexos dedicados aos animais se vão degradando. sinais de usos e costumes cuja funcionalidade já foi anulada. Rosmaninhal teve ao longo dos séculos, face ao seu posicionamento geográfico e orográfico (Sudeste da Beira Interior) essa ancestral ligação aos animais de trabalho e de pastoreio.

domingo, maio 20, 2018



doçura tens bastante que ainda os fira

Jorge de Sena
A alegria está na luta, na tentativa, no sofrimento envolvido e não na vitória propriamente dita

M. Gandhi



acredito que esta máxima se aplica à grande generalidade das situações que vivemos neste mundo cada vez mais esquizofrénico. a cultura do êxito imediato onde só alguns acedem por vias abreviadas e favorecidas. a negação permanente das ideias alheias, a anulação da voz contrária. não me admira que o futebol seja o espelho deste mal-estar social. temos assistido a um riquismo soberbo: carros, estilos de vida, sucessos. e raramente se mostra a dor, o cansaço, o fracasso, o luto, o fim...como é que se lida com os que nunca ganham, com os que nunca são favorecidos, com os que trabalham com suor, com os que estão silenciados....

quinta-feira, maio 17, 2018

DIA INTERNACIONAL DOS MUSEUS


por este dia, por toda a Europa, os museus reforçam os seus programas e os públicos revisitam os museus. este ano com o tema "museus hiperconectados" e por estas partilhas, o território-museu amplia-se, metamorfoseia-se em imaginários....


quarta-feira, maio 16, 2018

ELEMENTOS PARA A VALORIZAÇÃO DA VILA DE IDANHA



a ruina do respetivo castelo com o imprescindível olhar para os horizontes raianos, com os seus contrastes naturais e paisagísticos, onde a linha natural da escarpa impõe essa divisão em termos geográficos e ambientais entre um Norte e um Sul. aqui tem-se essa introdução plena ao território, seus traços definidores que lhes dão expressividade e diversidade, essa lição prática do olhar. deste promontório continua-se a sonhar...

terça-feira, maio 15, 2018

PATRIMÓNIOS ASSOCIATIVOS. PARTILHAS. CENTENÁRIO C.U.I


Enquadrado nas celebrações do centenário do Clube União Idanhense, em 16 de Junho de 2017, o antropólogo Luís Maçarico foi o orador convidado para apresentar o tema em redor dos patrimónios associativos e suas valorizações. 

No apoio esteve uma partilha associativa entre a Raia Gerações, a instituição centenária e o Município de Idanha-a-Nova. 

Deste encontro resultou este artigo publicado na revista da Confederação Portuguesa das Colectividades de Cultura, Recreio e Desporto (nº5), com o titulo "O meu olhar sobre o Associativismo". Titulo da comunicação apresentada na tertúlia, integrada nas comemorações do centenário do Clube União Idanhense, no Centro Cultural Raiano.

"Considero que o concelho de Idanha-a-Nova ganhará um novo polo de atracção, quer para os residentes, quer para os visitantes. Nele se evidenciará o valor humano, que ao longo de um século se reflectiu no Club União Idanhense, enquanto microcosmos deste território da Raia. Sendo uma terra que salvaguarda o seu Património, Idanha merece tudo aquilo de bom que o Futuro reserva para esta e todas as suas colectividades."

Luís Maçarico, antropólogo

ELEMENTOS PARA A VALORIZAÇÃO DA VILA DE IDANHA-A-NOVA

rua da Corredoura/actual rua Vaz Preto. 2018

O centro histórico desta vila apresenta-se com aspectos arquitectónicos e urbanísticos  extraordinariamente ricos e simbólicos: palácios, capelas, igreja matriz, fontanários e restantes arquitecturas vernáculas. intrincado nas configurações deste singular núcleo podemos reter leituras bastante elucidativas da história desta vila raiana. Começando pelas ruínas do castelo, restando apenas a base da torre de menagem e uma suposta calçada de acesso. Este castelo foi mandado construir por Gualdim Pais, em 1187, quando esta vila se encontrava na posse da Ordem do Templo. Foi sucessivamente alterado com obras de melhoramentos.


*Cont.

segunda-feira, maio 14, 2018

diz o repórter da RTP face à festa "hollywoodesca"que estaria a acontecer junto ao rio: está aqui a primeira linha da sociedade portuguesa....

o que isto quer dizer? onde ficam arrumados os da última linha? atrás das barreiras, a ver passar as vaidades...com os seus vestidos e as suas jóias...como eloquentemente dizia John Lennon num memorável concerto: "as pessoas dos lugares baratos abanam as mãos e as restantes apenas abanam as jóias"....